Março 21, 2022

Descubra qual o seu escalão de IRS

Tabela do IRS: sabe qual é o seu escalão de rendimento coletável?

Existem sete escalões de rendimento coletável, que formam a chamada tabela do IRS. Descubra, neste artigo, qual é o seu escalão.

É o rendimento coletável (e não o rendimento bruto) que determina o escalão de IRS e o imposto a pagar. Por isso, para saber em que escalão da tabela do IRS se encontra tem de calcular o seu rendimento coletável. Nas próximas linhas deste texto mostramos como se fazem as contas, passo a passo.

Cálculo do rendimento coletável

A base do cálculo do rendimento coletável é o rendimento bruto, que resulta do englobamento dos rendimentos brutos das várias categorias recebidos num ano civil.

Por sua vez, o englobamento é um regime de tributação que consiste em juntar num único “bolo” rendimentos de várias categorias, de modo a que sejam tributados às taxas gerais do IRS. É obrigatório para uns rendimentos – categoria A (trabalho dependente) e categoria H (pensões), por exemplo – e opcional para outros – categoria E (capitais) e categoria F (prediais), por exemplo.

Deduções específicas

Ao rendimento anual bruto temos de subtrair as deduções específicas aplicáveis e que variam consoante a categoria de rendimento. 

No caso dos rendimentos da categoria A aplicam-se as seguintes deduções específicas por sujeito passivo (contribuinte):

  • 4 104 euros, até 37 309,09 euros de rendimento anual bruto. Esta dedução pode ser elevada para 4 275 euros se houver despesas para ordens profissionais de inscrição obrigatória;
  • Valor das contribuições obrigatórias para a Segurança Social (em regra, 11% sobre o rendimento bruto), acima de 37 309,09 euros de rendimento anual bruto;
  • Total das indemnizações pagas pelo trabalhador por rescisão de contrato de trabalho;
  • Quotizações sindicais (até 1% do rendimento anual bruto, acrescidas em 50%)
  • Prémios de seguro (doença, acidentes pessoais, vida, reforma e invalidez) nas profissões de desgaste rápido, com o limite de 2 194,05 euros.

Após estes cálculos feitos chegamos ao rendimento colectável. Assim, falta de segida verificar a tablea do IRS para percber em que escalão se enquadra e quanto terá de descontar.

Escalões de rendimento coletável da tabela do IRS

tabela do IRS está dividida em sete escalões de rendimento coletável, com um limite mínimo e um limite máximo. E a cada um dos escalões correspondem duas taxas de imposto, a taxa normal e taxa média (ver quadro abaixo), que aumentam à medida que se sobe no patamar do rendimento coletável. Tal acontece porque o rendimento coletável não é todo tributado à mesma taxa. Quando o rendimento coletável é superior a 7 112 euros, é dividido em duas partes não iguais: uma, igual ao limite máximo do maior dos escalões que nele couber, à qual se aplica a taxa média correspondente a esse escalão; outra, igual ao excedente (diferença entre o rendimento coletável e a primeira parte), a que se aplica a taxa normal respeitante ao escalão imediatamente superior.

Para saber qual o escalão de rendimento coletável da tabela do IRS basta verificar em qual deles se enquadra o rendimento coletável. Por exemplo, um contribuinte com um rendimento coletável de 25 000 euros enquadra-se no quarto escalão de rendimento coletável da tabela do IRS. Deste modo, os 25 000 euros ficam sujeitos à taxa normal de 35% e à taxa média de 24,967%.

Escalão
Rendimento coletável
Taxa normal
Taxa média
1.º
Até 7 112 €
14,5%
14,500%
2.º
De mais de 7 112 € até 10 732 €
23%
17,367%
3.º
De mais de 10 732 € até 20 322 €
28,5%
22,621%
4.º
De mais de 20 322 € até 25 075 €
35%
24,967%
5.º
De mais de 25 075 € até 36 967 €
37%
28,838%
6.º
De mais de 36 967 € até 80 882 €
45%
28,838%
7.º
Superior a 80 882 €
48%
Neste artigo
Neste artigo conheça a tabela de IRS e descubra qual o seu escalão de rendimento. Veja ainda os prazos que tem para efectuar eventuais reclamações.
Partilhar nas redes sociais:
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email